AlternaCast #02 Cisne Negro

sexta-feira, julho 08, 2011


 Bem-vindos ao AlternaCast!

 Esta é a segunda edição do podcast do blog. 
 Neste AlternaCast eu (Driele Rodrigues) e uma amiga convidada (Natyanne Alves) comentamos sobre o filme Cisne Negro.
 O cast contém SPOILERS, curiosidades e comentários sobre vários pontos interessantes do filmes. Vale a pena ouvir!
 Podem deixar a opinião de vocês nos cometários ou mandar pelo e-mail abaixo. Quem quiser, também pode fazer o download do podcast ou ouvir direto no post. Todas as sugestões são bem-vindas. Espero que gostem!







E-mail: driele_kent@hotmail.com
Download: AlternaCast #02 Cisne Negro
Trilha sonora: Three Days Grace

8 comentários:

Marcel Camp disse...

Quero ouvir esse com calma, já que gostei muito desse filme... depois eu volto aqui pra responder o que achei!

Bjs

William disse...

Olá Driele,
Não assisti ao filme ainda, mas a julgar pelos comentários, vale a pena conferir.
O podcast do seu blog está muito bom. Parabéns pelo trabalho.
Tenha um ótimo final de semana.

Bento Sales disse...

Driele, ainda não assisti ao filme, mas pela apresentação fiquei curioso.
Assim que for possível, assistirei, mas tenha certeza de que me lembrando sempre dos comentários seus e de sua amiga Natyanne Alves.

Parabéns pela produção!

Eu estava certo que o que fosse fazer ficaria bom, pois é superinteligente e dedicada.

Abraços!

x.Rafael Bueno disse...

Muito bom seu blog!
Acesse meu blog
http://naomedigaabsurdos.blogspot.com/
-
Estou fazendo uma promoção
no meu blog,se tiver interesse
acesse esse link!
http://naomedigaabsurdos.blogspot.com/2011/07/promocao-eu-dilvulgotu-me-segues.html

QUEIROZ disse...

Dos filmes que eu vi do Darren Aronofsky (A Fonte da Vida, O Lutador), Cisne Negro é o melhor.

E a Natalie Portman mereceu mesmo a estatueta, ela desde a tenra idade já demonstrava um talento extraordinário vide O Profissional, e na fase adulta outro destaque para mim é o V de Vingança, principalmente nas cenas do carcere, ela se emocionando lendo a carta daquela prisioneira lésbica, bastante emocionante mesmo.

Tem um mito que a mãe tambem seria fruto da imaginação dela, mas acho que isso cabe a interpretação de cada um da estória.

Beijos Driele e Nat.

Paulo Cesar PC disse...

Driele cada vez melhor o podcast. Não vi o filme. Por tanto fica difícil comentar. Mais você me fez despertar o interesse em conferir como é. Um beijo no seu coração. Vou ver o filme e conferir.

Marcel Camp disse...

Bom, acabei de ouvir o podcast todo! Então, vamos lá:

Sobre o quarto da Nina ser ainda todo mantido com ursinhos de pelúcia, cortinas e lençóis rosas, parecendo mesmo que ali morava uma menina de 10 anos, é que eu entendi que era assim que a mãe dela tratava a Nina! E a mãe queria preservar a filha desse jeito, pura e imaculada. Então, toda essa aparência infantil do quarto, reflete essa neurose da mãe sobre a filha, ou seja, de fato, a Nina era dominada e controlada pela mãe que a tratava como uma menininha indefesa.

Acredito que aquelas visões do metrô, eram da Nina se vendo em seu lado mais "mau"... ela via vultos dela mesma de uma maneira mais sombria, como um sinal de que ela já não estava mentalmente tão equilibrada.

Sim, o balé funciona como uma perfeita metáfora da vida submissa de Nina. Tanto é que ela se esforça pra ser a melhor bailarina assim como ela parece querer ter uma vida pessoal mais independente e segura!

Concordo que o professor queria que ela se soltasse mais, mostrasse aquele seu lado mais "mau", até porque a peça exigia que ela encarnasse uma personagem mais maliciosa e rebelde. O professor na verdade, queria mesmo era que ela já liberasse pra ele o "cisne negro" (no bom sentido, é claro! hehe)

Sobre a mãe controlar ela, certamente aquilo influenciou muito no comportamento já paranóico e louco da Nina... mas há teorias que dizem que a mãe NUNCA existiu! Que ela era mais um fruto da mente perturbada da moça. Há uma passagem no filme (eu teria que rever o filme pra ver se é verdade), que dizem que o REFLEXO da mãe NÃO APARECE na frente do espelho no quarto... só o da Nina e o da Lily. Bom, em todo o caso, sendo a mãe REAL ou NÃO, a Nina ja tava meio pirada! rs

Outra coisa sobre essas visões de Nina, é que aquele sexo oral que a maluca da Lily fez nela, realmente NUNCA aconteceu. Tanto é que no dia seguinte, quando Nina está no teatro e diz pra Lily que teve aquela noite com ela, a Lily diz algo do tipo: "Você ta tendo sonhos eróticos comigo agora, é?" e ri, debochando. Sinal de que aquilo realmente NÃO aconteceu e era mais uma das alucinações da Nina!

Fiquei assustado quando vocês disseram que iam quebrar as mãos, os braços e as pernas das suas mães, se elas fossem como as mães da Nina!!! Po que isso, mãe é sagrada, seja ela a louca que for... uahuhauha (zoando)

Sobre filmar em 2 planos aquela dança final da Nina, concordo que seria legal, mas acredito que a intenção ali é fazer o espectador justamente se impressionar com a transformação FÍSICA de Nina em um Cisne e quase acreditar que ela ta virando mesmo aquilo! Causa um grande impacto. Além das asas que eu tb gostei, eu adorei quando ela ainda ta lá no camarim e de repente, ela vê as próprias pernas meio que "quebrando" pra trás iguais de uma ave!!! Muito bizarro aquilo, kkk.

Enfim, é um ÓTIMO filme mesmo e vcs estão de parabéns pelo podcast e mais ainda por ter escolhido esse filme que pra mim foi o segundo melhor filme do ano passado (só perde pra A Origem, na minha opinião, hehe). E Natalie realmente mereceu o Oscar!

Bjs

Emíliana disse...

Dri,eu adorei a atuação da Natalie.Uma performance magnifica.Mas,o enredo,muito doentio.Eu,realmente,esperava mais de tudo que li e ouvi por ai.
Pra mim foi meia boca.
Ta muito tri esse podcast!
Bjka

Postar um comentário